Qual o melhor aparelho para tratar a apneia do sono?


A apneia do sono é um distúrbio respiratório que afeta milhões de pessoas em todo o mundo, causando pausas na respiração durante o sono. Essa condição pode ter sérias consequências para a saúde, como hipertensão arterial, doenças cardíacas, depressão e sonolência diurna excessiva. Por isso, encontrar o tratamento adequado é fundamental para garantir uma boa qualidade de vida aos pacientes.

Atualmente, existem diversos aparelhos disponíveis no mercado para tratar a apneia do sono, cada um com suas particularidades e indicações. Neste artigo, vamos abordar os principais modelos e suas características, para ajudá-lo a escolher o melhor aparelho para sua necessidade.

CPAP – Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas

O CPAP (do inglês Continuous Positive Airway Pressure) é o tratamento mais comum e eficaz para a apneia do sono. Este aparelho funciona através da liberação de ar pressurizado a partir de uma pequena turbina, que é conduzido até as vias aéreas superiores do paciente por meio de uma máscara facial ou nasal. A pressão mantém as vias aéreas abertas, evitando a ocorrência das pausas respiratórias durante o sono.

Existem diferentes tipos de CPAPs disponíveis no mercado, sendo importante conhecer suas diferenças para escolher o melhor modelo:

  • CPAP fixo: Neste modelo, a pressão do ar é ajustada previamente pelo médico e mantida constante durante toda a noite. É indicado para pacientes que apresentam uma apneia considerada leve ou moderada.
  • CPAP automático: Também chamado de APAP (do inglês automatic positive airway pressure), este aparelho possui um sensor que monitora as vias aéreas do paciente e ajusta a pressão do ar de acordo com as necessidades específicas em cada momento da noite. Isso proporciona maior conforto e eficácia no tratamento da apneia do sono severa ou associada a outros distúrbios respiratórios.
Relacionado  Remédios caseiros eficazes contra comichão na cabeça

Máscaras para CPAP

A escolha da máscara é essencial para garantir o sucesso do tratamento com CPAP, uma vez que ela deve se adaptar perfeitamente ao rosto do paciente e permitir uma vedação adequada do ar. Existem três tipos básicos de máscaras disponíveis:

  1. Nasal: Esta máscara cobre apenas o nariz, sendo indicada para pacientes que respiram exclusivamente por esta via durante o sono. É o modelo mais tradicional e costuma ser bastante confortável.
  2. Facial: A máscara facial engloba tanto o nariz quanto a boca, sendo recomendada para pacientes que tendem a abrir a boca durante o sono ou que possuem problemas nasais que dificultam a respiração. Contudo, é importante lembrar que a área maior de contato pode aumentar o risco de vazamentos de ar.
  3. Nasal pillows: Essa opção possui pequenas almofadas que se adaptam diretamente às narinas, eliminando a necessidade de cobrir o rosto. É indicada para pacientes que sentem desconforto com máscaras tradicionais ou que têm barba, por exemplo. No entanto, pode não ser adequada para quem precisa de pressões mais elevadas durante o tratamento.

BIPAP – Pressão Positiva Bi-Level nas Vias Aéreas

O BIPAP (do inglês bi-level positive airway pressure) é uma variante do CPAP que utiliza dois níveis distintos de pressão: um mais alto durante a inspiração e outro mais baixo durante a expiração. Isso facilita a respiração do paciente, tornando o tratamento mais confortável e eficaz em casos de apneia do sono associada a doenças neuromusculares, insuficiência cardíaca ou síndrome da hipoventilação-obesidade.

Assim como no CPAP, existem diferentes modelos de BIPAPs e máscaras disponíveis no mercado, sendo necessário avaliar suas características e indicações para escolher o melhor aparelho para cada caso.

Dispositivos intraorais

Os dispositivos intraorais são alternativas aos aparelhos de pressão positiva, sendo indicados principalmente para pacientes com apneia do sono leve ou moderada. Eles funcionam reposicionando a mandíbula e/ou a língua, mantendo as vias aéreas abertas durante o sono. Estes dispositivos são personalizados para cada paciente e devem ser ajustados por um dentista especializado.

Relacionado  O que fazer com colchão velho? Transformando seu colchão em algo útil

Embora sejam mais discretos e portáteis, os dispositivos intraorais podem causar desconforto na mandíbula ou nos dentes e não são eficazes em todos os casos de apneia do sono. Por isso, é fundamental consultar um médico antes de optar por este tratamento.

Como escolher o melhor aparelho para apneia do sono

A decisão sobre qual o melhor aparelho para tratar a apneia do sono deve ser baseada em diversos fatores, como a gravidade da condição, a presença de outras doenças associadas, as preferências e necessidades específicas do paciente. Nesse sentido, a avaliação médica é indispensável para indicar o tratamento mais adequado e garantir o sucesso da terapia.