O que é a apneia do sono? Causas, sintomas e tratamentos


A apneia do sono é um distúrbio que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Caracterizada por interrupções na respiração durante o sono, essa condição pode levar a sérios problemas de saúde se não for tratada adequadamente. Neste artigo, explicaremos o que é a apneia do sono, suas principais causas, sintomas e as opções de tratamento disponíveis.

O que é apneia do sono?

A apneia do sono é um distúrbio respiratório que ocorre durante o sono, causando paradas momentâneas na respiração. Essas pausas podem durar desde alguns segundos até minutos e acontecer diversas vezes ao longo da noite, provocando a fragmentação do sono e impedindo que ele seja restaurador.

Há dois tipos principais de apneia do sono:

  • Apneia obstrutiva do sono (AOS): é a forma mais comum da doença e ocorre quando os músculos da garganta relaxam, bloqueando parcial ou totalmente as vias aéreas.
  • Apneia central do sono (ACS): é uma forma menos comum e resulta da falta de comunicação entre o cérebro e os músculos responsáveis pela respiração, fazendo com que o corpo “esqueça” temporariamente de respirar.

Causas da apneia do sono

Apneia obstrutiva do sono

A AOS ocorre devido ao estreitamento das vias aéreas superiores, o que dificulta a passagem do ar e leva a interrupções na respiração. Diversos fatores podem contribuir para esse estreitamento, como:

  • Anatomia da garganta e das vias aéreas;
  • Obesidade ou excesso de peso;
  • Uso de álcool, tabaco ou sedativos;
  • Envelhecimento;
  • Posição inadequada ao dormir.
Relacionado  Qual é a densidade certa para um colchão e como escolher?

Apneia central do sono

Já a ACS está relacionada com problemas no sistema nervoso central que controla a respiração. Algumas condições médicas podem aumentar o risco de desenvolver apneia central do sono, como:

  • Lesões cerebrais;
  • Doenças neuromusculares;
  • Distúrbios cardíacos;
  • Uso de medicamentos específicos, como opioides.

Sintomas da apneia do sono

O principal sintoma da apneia do sono é a interrupção da respiração durante o sono, seguida por um som alto e abrupto, geralmente confundido com ronco. No entanto, existem outros sintomas que podem indicar a presença do distúrbio, tais como:

  • Sensação de cansaço e sonolência diurna;
  • Dificuldade de concentração e problemas de memória;
  • Mudanças de humor, como irritabilidade e depressão;
  • Dores de cabeça matinais;
  • Boca seca ou dor de garganta ao acordar.

É importante observar que a presença desses sintomas não confirma o diagnóstico de apneia do sono, sendo necessária uma avaliação médica para determinar a causa dos sintomas.

Diagnóstico da apneia do sono

Para diagnosticar a apneia do sono, é preciso realizar um exame chamado polissonografia, que monitora a atividade cerebral, os movimentos oculares, a frequência cardíaca, a respiração e a oxigenação do sangue durante o sono. Esse exame é realizado em um laboratório do sono ou pode ser feito com equipamentos portáteis no domicílio do paciente, de acordo com a orientação médica.

Tratamento da apneia do sono

O tratamento da apneia do sono varia de acordo com a gravidade do distúrbio e as características individuais de cada paciente. Algumas medidas podem ser adotadas para melhorar a qualidade do sono e reduzir os episódios de apneia, como:

  • Adotar hábitos saudáveis, como manter uma dieta equilibrada e praticar exercícios físicos regularmente;
  • Evitar o consumo de álcool, tabaco e sedativos;
  • Dormir em uma posição adequada, como dormir de lado ou utilizar travesseiros que ajudem a elevar a cabeça;
  • Fazer uso de dispositivos intraorais, como aparelhos reposicionadores de mandíbula, que ajudam a manter as vias aéreas abertas durante o sono.
Relacionado  Como eliminar calos dos pés com vinagre

Em casos mais graves, pode ser necessário o uso de um aparelho chamado CPAP (Continuous Positive Airway Pressure), que mantém a pressão constante nas vias aéreas por meio de uma máscara facial, evitando a obstrução das mesmas. A cirurgia também pode ser considerada em situações específicas e quando outros tratamentos não apresentaram resultados satisfatórios.