lenitudes_11


INFORMAÇÃO ÚTIL

O que é o cancro?

O corpo humano é formado por células. As células agrupam-se e formam um tecido (por exemplo um músculo) e os tecidos formam os órgãos do nosso corpo. Normalmente, as células crescem e dividem-se para formar novas células. As células multiplicam-se, envelhecem, morrem e são substituídas por novas células.

O cancro é um crescimento desordenado de células do corpo do próprio doente, que numa dada altura sofreram alterações e tornaram-se diferentes das células normais. Essa diferença faz com que essas células não sejam controladas pelos mecanismos de regulação biológica normais do corpo. Essa ausência de controlo sobre as células, permite que o cancro cresça, podendo destruir os órgãos que estão em proximidade, ou podem dar origem a crescimento noutros locais do corpo, originando-se novos tumores (a isto chamamos metástases).

Quando se fala de cancro, estamos a referir-nos a um número muito grande de diferentes doenças, mas que podem ter esta designação comum por terem algumas características semelhantes entre si.

Radioncologia

A Radioncologia, anteriormente conhecida simplesmente de radioterapia, é uma especialidade médica que utiliza radiações ionizantes, exclusivamente ou em combinação com outras modalidades terapêuticas (por exemplo, cirurgia e/ou quimioterapia), no tratamento de doentes oncológicos, para curar ou controlar a doença.

A Radioncologia pode também ser usada no tratamento de doenças que não o cancro, habitualmente em situações de neurologia e em algumas malformações das artérias e veias, para além de muitas outras indicações.

A maioria dos doentes com cancro vão necessitar de fazer a modalidade de radioterapia em alguma fase da sua doença, podendo o tratamento ser curativo ou paliativo. A radioterapia é um tratamento seguro.

Estes tratamentos são na maioria das vezes diários e podem durar entre 25 a 40 dias. Em situações particulares, os tratamentos podem apenas ser de um a 10 dias. A duração dos tratamentos depende do tipo de cancro, onde está situado e a sua gravidade, bem como do estado geral de saúde do doente.

De acordo com a localização do tumor, pode ser feita Radioterapia Externa, Braquiterapia, ou ambas.

O que é a Medicina Nuclear/Molecular e para que serve?

A Medicina Nuclear é uma especialidade Médica com uma forte componente diagnóstica mas também terapêutica. Na sua principal componente, a diagnóstica, proporciona informações sobre funções celulares específicas mais do que simplesmente anatómicas ou estruturais.

O príncipio base da Medicina Nuclear é o radiofármaco que depois de administrado, de um modo geral, por via endovenosa, vai ser captado e retido em células e tecidos que exprimem uma função específica – por exemplo actividade osteoblástica (cintigrafia óssea), actividade metabólica (PET-CT com FDG), perfusão, concentração e excreção renais (renograma), perfusão miocárdica, função (organificação) tiroideia, perfusão cerebral, receptores da dopamina, etc.

Na vertente terapêutica, os radiofármacos têm sido mais frequentemente usados no tratamento de patologia tiróideia (hipertiroidismo e terapêutica complementar de carcinomas diferenciados da tiróide). No entanto, nos últimos anos, e graças a progressos significativos na radiomarcação de vários tipos de moléculas, têm vindo a ser desenvolvidas terapêuticas altamente eficazes no tratamento de diversos tipos de neoplasias.

Que técnicas fazemos?

Os desenvolvimentos tecnológicos da Medicina Nuclear permitem-nos hoje, administrar, doses de radiofármacos cada vez menores e que são igualmente detetadas por aparelhos, também eles, cada vez mais precisos e diferenciados. Exemplo desta realidade é a câmara PET/CT Discovery IQ  (tecnologia topo de gama mundial e única em Portugal) existente na Lenitudes – Medical Center & Reseach, em Santa Maria da Feira.

No departamento de Medicina Nuclear da Lenitudes – Medical Center & Reseach são realizados todos os procedimentos diagnóstico de Medicina Nuclear Convencional (Cintigrafias) e de PET/CT disponibilizados em Portugal assim como terapêuticas com radionúclidos em ambulatório (listagem completa).